Empresa rompe com Aaron Rodgers após o jogador não se vacinar

(Foto: Evan Siegle/Packers) O quarterback Aaron Rodgers se explicou sobre os motivos que o levaram a não tomar a vacina contra a Covid-19, mas isso não adiantou para uma empresa parceira do atleta. A Prevea Health anunciou que desfez o compromisso que tinha com o lançador.

DICIONÁRIO: CONFIRA OS TERMOS DO FUTEBOL AMERICANO

“Prevea Health e Aaron Rodgers tomaram a decisão de encerrar sua parceria a partir de 6 de novembro de 2021. A Prevea Health continua comprometida em proteger seus pacientes, funcionários, provedores e comunidade em meio à pandemia de COVID-19. Isso inclui encorajar e ajudar todas as pessoas elegíveis a serem vacinadas contra COVID-19 para evitar que o vírus tenha um impacto significativo em vidas e empregos”, diz um comunicado.

A parceria entre as partes começou em 2012, com Rodgers sendo um dos principais apoiadores de iniciativas de saúde em Winsconsin, estado onde fica Green Bay.

Em agosto, ao ser questionado, Aaron Rodgers apenas disse que estava imunizado. Em participação no podcast Pat McAfee Show, ele revelou que ainda não havia tomado a vacina, alegando que alguns componentes presentes nas produções da Pfizer e Moderna lhe causariam alergias. Segundo ele, o orientaram que seria mais seguro contrair o vírus e se recuperar do que ser vacinado para a imunização.

“Sou um cara que tem pensamento crítico. Eu acredito firmemente em autonomia sobre o próprio corpo e na possibilidade de tomar decisões com relação a isso. Não sou um negacionista, anti-vacina, terraplanista ou alguma coisa do tipo. Só quis tomar a melhor decisão para o meu corpo”, afirmou.

“Isso envolveu muito estudo ao longo da offseason . Eu dediquei muito tempo e energia a essas pesquisas e me encontrei com muitas pessoas diferentes da área médica para adquirir a maior quantidade possível de informações sobre vacinas antes de tomar a minha decisão”, concluiu. Confira a entrevista completa, em inglês:

Fato é que Rodgers contraiu a doença e não entra em campo diante do Kansas City Chiefs, neste domingo (7), pela Semana 9 da NFL 2021. Além disso, o protocolo da liga prevê que o atleta fique em quarentena por, no mínimo, 10 dias. O camisa 12 precisará ainda passar por mais dois testes negativos para poder retomar as atividades.

Ronaldo Barreto

Jornalista formado desde 2016, mas já trabalhava na área desde 2010, quando comecei em uma rádio comunitária em Guarulhos. Fui repórter (estagiário) na Federação Paulista de Futebol (FPF) e no site do jornal Diário de S. Paulo. Neste último, fui efetivado em 2016 e passei a ser o responsável por todo o conteúdo do portal do veículo em 2017, além das redes sociais. Com o intuito de fazer o futebol americano crescer ainda mais no Brasil, criei a página NFL à Brasileira, que se expandiu para este site de notícias sobre o esporte. Além da escrita, sou muito ligado à fotografia, principalmente de esportes.

%d blogueiros gostam disto: