Eli Manning anuncia sua aposentadoria da NFL

(Foto: Divulgação/Giants) Uma era chegou ao fim nesta sexta-feira (24). O quarterback Eli Manning, ídolo do New York Giants, anunciou sua aposentadoria da NFL, aos 39 anos e após 16 temporadas na liga.

MAIS: Luke Kuechly anuncia aposentadoria da NFL

Eli, mais um membro da lendária família Manning, passou toda sua carreira vestindo o azul dos Gigantes. Com o time, venceu dois Super Bowls e liderou a equipe em momentos inesquecíveis para o torcedor.

O camisa 10 foi peça chave nas conquistas – ambas sobre o New England Patriots – e eleito MVP das decisões.

Em sua coletiva de imprensa de despedida, o agora ex-jogador falou sobre a carreia e agradeceu à torcida do NY Giants.

“Eu escolhi deixar esse esporte apenas com memórias positivas. Quando você ganha campeonatos, você tem uma conexão especial com seus colegas de time. Muitos colegas viraram amigos”, comentou.

“Ninguém amou mais vestir o uniforme do Giants do que eu. Vocês (torcida) são únicos, eu amo vocês por isso. Vou embora como um ‘New Yorker'”.

 

Draftado inicialmente pelo San Diego Chargers, na primeira escolha geral do recrutamento de 2004, Eli foi envolvido em uma troca com Philip Rivers no mesmo ano.

Em 16 temporadas regulares, soma 57.023 jardas em passes, 366 touchdowns e 244 interceptações, além de mais 7 TDs correndo. Mas o destaque mesmo sempre foi a frieza das atuações em pós-temporadas: 12 jogos, 2.815 jardas, 18 TDs e 9 Int.

Este slideshow necessita de JavaScript.

No sangue

Elisha Nelson Manning IV é filho do ex-quarterback Archie Manning, que atuou na NFL na década de 1970. É irmão de um dos maiores atletas de futebol americano da história, Peyton Manning, e do ex-wide receiver Cooper Manning, que, por conta de uma lesão, encerrou a carreira precocemente, antes de se tornar profissional.

“Você não tem que falar o quão durão você é. Você apenas mostra às pessoas que você é, e ele fez isso. Como irmão, tenho muita admiração e amor por ele. Mas como quarterback, eu tenho um incrível respeito por sua resistência, sua responsabilidade e liderança”, disse Peyton.

Ronaldo Barreto

Jornalista formado desde 2016, mas já trabalhava na área desde 2010, quando comecei em uma rádio comunitária em Guarulhos. Fui repórter (estagiário) na Federação Paulista de Futebol (FPF) e no site do jornal Diário de S. Paulo. Neste último, fui efetivado em 2016 e passei a ser o responsável por todo o conteúdo do portal do veículo em 2017, além das redes sociais. Com o intuito de fazer o futebol americano crescer ainda mais no Brasil, criei a página NFL à Brasileira, que se expandiu para este site de notícias sobre o esporte. Além da escrita, sou muito ligado à fotografia, principalmente de esportes.

%d blogueiros gostam disto: