Início de ‘Rodgers & LaFleur’ anima, mas ataque do Packers ainda precisa evoluir

(Foto: Packers/Instagram) Por Paulo Sérgio – O Green Bay Packers começou com duas vitórias dentro da divisão NFC Norte nas duas primeiras semanas da nova temporada da NFL. No último domingo (15), o resultado positivo aconteceu contra o Minnesota Vikings, por 21 a 16, no Lambeau Field.

O fim de uma relação desgastada

Por muitos anos Aaron Rodgers esteve como uma estrela solitária nos Packers. Mesmo com seu enorme talento, sua atual franquia ficou de fora dos playoffs nas duas últimas temporadas.

Primeiramente, a relação com Mike McCarthy, antigo head coach, estava desgastada, o que minou o potencial de Rodgers. Visivelmente insatisfeito, o QB dos cabeças de queijo parecia não fazer questão de se esforçar na temporada passada.

Foram seis vitórias, nove derrotas e um empate em 2018. Porém, o camisa 12 teve números bons: 25 touchdowns e incrivelmente apenas duas interceptações. No entanto, quem viu os jogos da franquia percebeu o duas vezes MVP de temporada regular jogando bolas fora em demasia e não cumprindo parte de jogadas como deveria.

Um novo destino

Green Bay contratou Matt LaFleur para ser o novo head coach, um treinador jovem e com mentalidade ofensiva. Além do mais, se movimentou no período de free agency e reforçou o sistema defensivo, que estava enfraquecido nos últimos anos.

Agora, Aaron Rodgers tem em mãos o que sempre precisou para levar a franquia novamente ao Super Bowl: uma defesa sólida em todos os setores e um ataque equilibrado, apesar de não espetacular em nomes.

Problemas de repertório nas duas primeiras semanas

Rodgers não precisa provar nada na NFL. No entanto, o ataque dos Packers tem que evoluir. É justo dizer que na primeira semana o mérito da vitória é todo da defesa, já que o ataque teve pequenos lampejos de brilhantismo.

Na semana 2, o sistema ofensivo jogou bem apenas no primeiro quarto – o que foi suficiente para a vitória -, e o outro lado da bola mais uma vez foi eficiente para garantir o triunfo.

Ou seja, o ataque ainda apresenta inconsistência. Contra duas defesas de pesos, dos Bears e Vikings, o sistema foi anêmico e só conquistou o resultado positivo pelo ótimo desempenho defensivo.

No duelo da semana 1, contra Chicago, Rodgers teve tímidas 203 jardas e um touchdown. Contra os Vikings, foram 209 jardas e dois touchdowns. Com o gigante talento que tem em mãos, esses números precisam crescer nas próximas semanas, pois a defesa não vai garantir vitórias todos os dias.

%d blogueiros gostam disto: