Os duelos que podem definir o vencedor do Super Bowl LIII

Paulo Sérgio – Em uma partida de futebol americano, há diversos fatores a serem levados em conta: a parte física, psicológica e emocional, por exemplo, são algumas. Entre diversos tackles e corpos ao chão, existe algo que vai muito além do que vemos. Pequenos duelos, pouco perceptíveis, podem definir um vencedor de um Super Bowl.

MAIS: Roger Goodell diz que NFL vai discutir sobre mudanças no replay

É importante dizer que enquanto passes são lançados ao ar e corridas são efetuadas pelo chão, diversos confrontos estão sendo realizados paralelamente. De um lado, o time que está com a bola tenta viabilizar as ações. Do outro, a equipe que está defendendo tenta destruir os planos.

Portanto, em resumo, os confrontos psicológicos e físicos rolam a todo momento. Wide Receivers contra Cornebacks, Pass Rushres contra linha ofensiva e entre outros duelos que podem definir uma partida.

Com esse cenário, vamos entender quais são os principais confrontos que serão realizados no Super Bowl LIII e o que devemos estar atentos, pois eles podem definir o jogo para um lado ou para o outro.

Pass Rush dos Rams x Linha ofensiva dos Patriots

Para começar, o confronto mais importante de todos. Nesta pós temporada, nos jogos contra Chargers e Chiefs, Tom Brady não foi sackado nenhuma vez, logo, não sofreu fumble também.

Esse fato é crucial dentro do jogo. Se o quarterback dos Patriots não sofre pressão e fica tranquilo dentro do pocket, ele fará o que sempre fez durante sua carreira, que é lançar passes em terceiras descidas e de todas as formas que for necessário.

Se a linha ofensiva de New England conseguir proteger Brady novamente com sucesso, a vitória se encaminha para a franquia da AFC. O mundo viu o estrago que é feito quando o QB de 41 anos consegue ficar confortável e protegido.

Porém, do outro lado, Aaron Donald, Ndamukong Suh e companhia esperam ansiosamente para mudar esse cenário. Donald teve 20,5 sacks durante a temporada regular e foi o melhor defensor do ano novamente na NFL.

Aaron Donald [é um monstro (Foto: Instagram/Rams)

Todos sabem pelo lado dos Rams que a chave para vencer é derrubando Brady e não dar tranquilidade no pocket, já que ele não tem mobilidade para improvisar jogadas e necessita de tempo e conforto. Todas as vezes que New England foi derrotado, principalmente nos Super Bowls contra o New York Giants, Tom foi pressionado durante a partida.

A fórmula é simples para ambos os lados, ganhará quem conseguir executar da forma necessária. Não há dúvidas: o fator crucial para as equipes saírem com o anel se passa pelo confronto do pass rush dos Rams contra a linha ofensiva dos Patriots. Quem vencer esse duelo, possivelmente terá o título do Super Bowl.

Todd Gurley + C.J Anderson x Linha defensiva dos Patriots

O ponto forte do ataque dos Rams é o jogo terrestre. Se estabelecido, o time consegue controlar o tempo, usar play actions por diversas jogadas e deixar a partida em seu controle. Se não conseguir, Jared Goff terá que soltar o braço, e isso já foi um grande problema em alguns jogos na temporada.

Portanto, a batalha nas trincheiras é essencial. New England venceu essa batalha nos jogos contra Chargers e Chiefs, e isso foi essencial para a equipe chegar no Super Bowl. Para conquistar o sexto título de sua história, é crucial vencer esse confronto nas trincheiras novamente.

Esse duelo ditará o ritmo do restante do jogo. O controle do tempo e da questão física dependerá do confronto das trincheiras. Além do mais, isso vale também para Sony Michel e companhia contra a defesa do Rams, já que o calouro foi de extrema importância para a vitória em Kansas.

Cornebacks x Wide Receivers

Aqib Talib e Marcus Peters foram contratados para formar uma das melhores duplas de cornebacks da NFL. Por oito semanas, Talib esteve fora de ação e comprometeu o caminhar do sistema. Ao todo, a defesa tem médias de mais 24 pontos tomados por jogo. No recorte de partidas que o jogador esteve em campo, a margem fica abaixo dos 20 pontos.

O confronto desses dois em especial será contra um corpo de recebedores que não é recheado de grandes talentos, mas tem uma química e entrosamento impressionante com Brady, moldados em um plano de jogo totalmente eficiente.

Contra Kansas City, Julian Edelman foi crucial juntamente com Chris Hogan. Apesar de um drop em um momento decisivo do jogo, o pequeno WR dos Patriots foi preciso em rotas pelo meio e converteu terceiras descidas que foram aumentando a ferida dos Chiefs.

Julian Edelman é um dos melhores recebedores em slot da NFL (Foto: Instagram/Patriots)

A marcação contra o principal WR de Brady ditará o ritmo da partida em diversas circunstâncias, ainda mais porquê Tom Brady, provavelmente, terá que soltar a bola rápido, já que Aaron Donald estará pronto para derrubá-lo.

Por outro lado, o corpo de recebedores de LA foi prejudicado pela contusão de Cooper Kupp, que vinha tendo uma ótima temporada. Mesmo assim, há outros jogadores capazes de desequilibrar no setor: Brandin Cooks, ex-Patriots, é eficiente em big plays. Robert Woods atua bem em rotas diversificadas e é ótimo conseguindo a separação com os marcadores por conta de sua velocidade.

Os confrontos deles serão contra o pro bowler Stephon Gilmore, um dos melhores da posição na liga, que é físico o suficiente para marcação individual e com ótima visão e posicionamento para atuar em zona quando preciso. Ao seu lado, o ótimo Jason McCourty compõe a dupla de cornebacks de New England.

Enfim, ambos os times têm recebedores eficientes em vários aspectos e cornebacks que já provaram que podem anular ótimos WRs. Portanto, a disputa entre eles será mais um confronto na partida que pode mudar os rumos do Super Bowl.

Rob Gronkowski x todos

É possível que Gronk se aposente após o Super Bowl. Ele vive com problemas físicos frequentemente, não conseguindo se livrar de contusões durante a temporada, o que influencia em sua performance. Vale lembrar que o TE dos Patriots não teve uma boa temporada no contexto geral.

Mas a questão é: na hora decisiva, ele faz a diferença. É difícil arranjar a fórmula ideal para marcar um cara como ele, que usa seu corpo como proteção contra o adversário. Alto, atlético, perfeito nas rotas e um verdadeiro tanque de guerra, arma essencial para Tom Brady.

Na partida, o confronto de toda a defesa contra Gronk é mais um duelo importante. Ele é um tipo de jogador que pode mudar a cara de um jogo de uma forma muito impactante. Se ele estiver em um dia imparável, é capaz de o jogo terrestre não estar funcionando, a linha ofensiva não estar protegendo Brady e mesmo assim ele aparecer para ser o fator da vitória de NE.

Com tanto impacto, como é possível marcar Gronk? Marcação individual ou de zona? O fato é que Wade Phillips, o coordenador defensivo de Los Angeles, terá que estudar friamente maneiras de minimizar o impacto do TE dos Patriots.

A partida será neste domingo (03), às 21h30 (horário de Brasília), com show do Maroon 5 no intervalo e expectativa de muito equilíbrio.

Imagem principal: David Andrews e Aaron Donald (Fotos: Patriots e Rams/Site oficial)

%d blogueiros gostam disto: