Divisional AFC – Chiefs x Colts: O equilíbrio é maior do que parece

Por Emerson Alves – Quando Kansas City Chiefs e Indianapolis Colts entrarem no gramado do Arrowhead Stadium em Kansas City no próximo sábado (12), muitos poderão dizer que o time liderado por Patrick Mahomes é amplo favorito, já que se trata de um confronto entre o melhor classificado da conferência americana e que vem de uma semana de descanso, contra o sexto classificado da divisão. Porém, este talvez seja o confronto mais equilibrado entre todos os duelos divisionais.

Vários fatores explicam esse equilíbrio, desde a fragilidade defensiva dos Chiefs, que cedeu 26,3 pontos (9°pior) e 405,5 jardas (2°pior) em média por partida na temporada regular e que quando seus pass rusher não estão em um bom dia sofrem bastante. Exemplo disso são as 4 derrotas do time até aqui, onde seu ataque produziu pelo menos 28 pontos em todas elas.

Destaque também para os reveses frente a Patriots e Rams, onde sua defesa cedeu 43 e 54 pontos, respectivamente, e que expôs claramente o que pode ser o ponto fraco da equipe na pós-temporada, já que times com defesas frágeis geralmente não têm muitas chances em janeiro.

Entretanto, muito desse teórico equilíbrio se deve aos Colts, que com Frank Reich em sua primeira temporada como técnico principal, após a saída de Chuck Pagano, teve a felicidade de contar com a volta do espetacular Andrew Luck. O QB lançou para 39 TDS e 4.593 jardas em seu retorno à NFL, após longo tempo de inatividade por lesão.

A unidade ofensiva, tirando seu quarterback, não conta com grandes estrelas, mas que possivelmente é hoje o plantel mais completo e equilibrado do mata-mata e que foi capaz de conduzir a franquia à 10 vitórias na temporada regular mesmo após começar 1-5.

Porém, mesmo os times mais fortes da NFL e candidatos reais ao Super Bowl, têm suas virtudes e defeitos, e por isso existem pontos chaves para cada uma das equipes que podem determinar a ida de Kansas City Chiefs ou Indianapolis Colts para a final da divisão.

Caminhos para a vitória:

Kansas City Chiefs

Na temporada regular, os Chiefs foram o melhor ataque da NFL. Liderados pelo provável MVP Pat Mahomes, eles produziram 35,3 pontos e 425,6 jardas em média por jogo, e amassaram seus adversários semana após semana, até que sua defesa começou a fazer a diferença negativamente.

Patrick Mahomes está em seu segundo ano na NFL (Foto: Instagram/Chiefs)

Pode soar óbvio que colocar a bola na mão de Mahomes é fundamental, ainda mais que o lançador tem alvos muito confiáveis como Travis Kelce e Tyreek Hill. Mas é isso mesmo. O QB passou para 50 TDS (algo que apenas Peyton Manning e Tom Brady tinham feito antes) e 5099 jardas na temporada regular e pode resolver o jogo em uma jogada.

É importante, é claro, estabelecer o jogo terrestre, pois para vencer grandes defesas como a dos Colts é importante não ter um ataque unilateral, mesmo que o jogo corrido dos Chiefs tenha sofrido uma grande queda de rendimento após a dispensa de Kareen Hunt e a efetivação de Spencer Were como o novo Running Back titular.

Mas a grande chave da vitória está na defesa. É vital que os principais pass rushers da equipe como Chris Jones, que teve marcas incríveis como 15,5 sacks na temporada regular e igualou um recorde histórico de pelo menos 1 sack por jogo por 10 jogos consecutivos; Dee Ford, que contribuiu com 13 sacks na temporada e Justin Houston que efetuou 9 sacks, consigam produzir e não dar tempo para Luck pensar no pocket. O camisa 12 já mostrou o estrago que pode fazer quando o dão tempo para lançar e o sucesso dessa estratégia pode ser o suficiente para camuflar as constantes falhas da secundária. Se esses apressadores de passe não funcionarem apenas um milagre de Mahones para salvar os Chiefs.

Indianapolis Colts

Falar que basta os Colts manterem o que vem fazendo nas últimas semanas é fácil, mas possivelmente é a receita necessária para mais uma vitória fora de casa. Comandados por Andrew Luck e pelo Guard, calouro de 1° rodada, Quenton Nelson (sim, respeitem os Guards!), que vem fazendo uma temporada de estreia espetacular o ataque de Indianapolis vem causando estragos em seus adversários. Muito desse sucesso se deve a unidade ofensiva como um todo, onde cada jogador vem executando seu trabalho com louvor.

Andrew Luck, QB do Indianapolis Colts

Marlon Mack é outro que faz uma temporada muito boa. Foram 908 jardas corridas e 9 TDS em 195 carregadas na temporada regular e uma estreia nos playoffs maravilhosa na última semana com 148 jardas e 1 TD anotado. TY Hilton como de costume fez mais um temporada ótima com 1270 jardas recebidas em 76 recepções para 6 TDS. A sólida linha ofensiva (quem diria, hein?) cedeu apenas 18 sacks em Andrew Luck. Além do pouco citado Eric Ebron, Tight End que capitalizou 13 TDS em um ataque onde touchdowns de Tight Ends virou marca registrada, e é um dos pontos primordiais desse sucesso.

Já pelo lado defensivo, o destaque fica mais uma vez para um calouro, Darius Leonard, escolha de segunda rodada, líder da NFL com 163 tackles nesse quesito na temporada regular e também contribuindo com 7 sacks. Números impressionantes. No entanto, assim como o ataque, a unidade defensiva como um todo é o que faz a diferença. Foram apenas 21,5 pontos e 339,4 jardas cedidas em média por jogo até a semana 16 e somente 7 pontos sofridos contra o bom ataque dos Texans na última semana.

Agora, se essa defesa será capaz de parar o mais recente candidato ao olimpo dos quarterbacks, Patrick Mahomes no próximo sábado, só o tempo dirá.

Duelo da Partida

Um dos principais embates da partida será entre o Tight End dos Chiefs, Travis Kelce que já acumula 103 recepções para 1336 jardas e 10 TDS, contra os líderes da defesa dos Colts, Darius Leonard e Anthony Walker, tackleadores natos e que serão fundamentais se Indianapolis quiser vencer essa partida, já que parar Kelce, ou melhor ainda, nem deixar a bola chegar na mão dele, é mais um dos pontos chaves da partida para os Colts.

A bola sobe neste sábado (12) às 19h30, no Arrowhead Stadium, em Kansas City.

Ronaldo Barreto

Jornalista formado desde 2016, mas já trabalhava na área desde 2010, quando comecei em uma rádio comunitária em Guarulhos. Fui repórter (estagiário) na Federação Paulista de Futebol (FPF) e no site do jornal Diário de S. Paulo. Neste último, fui efetivado em 2016 e passei a ser o responsável por todo o conteúdo do portal do veículo em 2017, além das redes sociais. Com o intuito de fazer o futebol americano crescer ainda mais no Brasil, criei a página NFL à Brasileira, que se expandiu para este site de notícias sobre o esporte. Além da escrita, sou muito ligado à fotografia, principalmente de esportes.

%d blogueiros gostam disto: