A queda de rendimento do ataque do LA Rams

O Los Angeles Rams encaminhava para um nível de atuação que parecia impossível pará-los. O ataque conduzido pelo impacto gigantesco de Todd Gurley e o sistema perfeito para o encaixe de Jared Goff chocou a liga por muito tempo nesta temporada.

Por ironia do destino, os Rams caíram de produção justamente após o show ofensivo apresentado contra o Kansas City Chiefs de Patrick Mahomes. Após o emblemático e aterrorizante 54 a 51 contra Kansas, o time de LA embalou uma sequência de queda livre em desempenho.

O primeiro sinal de queda

Contra os Lions, duas semanas após o festival ofensivo, Matt Patricia conseguiu reduzir o ímpeto dos Rams. O sistema cheio de rotas, play action e screen foi brecado pela mentalidade defensiva do ex-coordenador dos Patriots.

O talento individual de Gurley foi crucial para a vitória, mas o recado estava claro para o restante da liga.
O que se teve em Detroit foi ampliado pelos talentos de Chicago. Os Bears, diferentemente dos Lions, não tinham apenas um sistema bem montado, mas sim talentos para ofuscar completamente Sean McVay e companhia.

O colapso em Chicago

O ponto fraco foi exposto de forma avassaladora pelos Bears. O primeiro passo foi parar Gurley, que teve apenas 28 jardas em 11 carregadas. Com isso, Goff mostrou suas limitações em acertar passes em janelas curtas e em desenvolver passos precisos. Sem Gurley para confundir a defesa, o quarterback teve que soltar o braço e o resultado disso foram quatro interceptações, 180 jardas e 20/44 nos arremessos.

Após esses colapsos iniciais, alguns motivos “extra-jogo” foram especulados para a queda de rendimento. O frio frenético e o fato de jogar fora de casa foram apontados como razão do insucesso. Pois então, os Rams tiveram a chance de mostrar que as duas semanas ruins contra Bears e Lions foram apenas momentos circunstancias e que o time continuaria em alta.

Cooper Kupp é um desfalque importante entre os alvos de Goff (Foto: Site/Rams)

A prova que não foi apenas o acaso

Contra uma defesa remendada e sem secundária titular, que vem sofrendo contra qualquer time que seja, o time de LA tinha a faca e o queijo na mão jogando em sua casa para voltar aos dias bons. Entretanto, a situação desesperadora de ser dominado pela defesa adversária aconteceu novamente.

Do começo ao fim do jogo, os Eagles conseguiram reduzir o ímpeto do ataque dos Rams. E a receita para isso é o óbvio: parar Todd Gurley e obrigar Goff a lançar bolas longas sem conforto. Naturalmente, após desenvolver bem essa fórmula, o time da Philadelphia conseguiu forçar turnovers como se tornou rotina para Los Angeles.

Aparentemente, Todd Gurley, o motor desse ataque, está lidando com uma lesão. Para o confronto contra o Arizona Cardinals, aliás, o jogador é dúvida.

Uma interceptação e um fumble forçado de saldo para a defesa de Philly. Gurley com apenas 48 jardas, e o resultado final do jogo em 30 a 23 para o atual campeão do Super Bowl. Portanto, com mais essa derrota, a decadência foi confirmada: os Rams se tornaram previsíveis e reféns do seu próprio sistema de jogo.

O cenário para os playoffs

Faltam apenas duas semanas para o fim da temporada regular e, provavelmente, os Rams conseguirão vitórias contra Cardinals e 49ers, garantindo folga da primeira rodada dos playoffs. Porém, a pergunta que fica é: há motivos para desespero em LA?

Algumas considerações: é realmente preocupante uma queda em dezembro, o auge da temporada e época que as equipes que querem ir ao Super Bowl não podem apresentar fraquezas. O outro lado da moeda, olhando o lado bom, talvez seja importante entender o ponto fraco para não os cometer nos playoffs, e Sean McVay tem a missão para corrigi-los.

Portanto, LA continua entre os favoritos, mas há um longo caminho a percorrer para voltar aos jogos de domínio como no início da temporada. No momento, o time de McVay está exposto e contra a parede.

%d blogueiros gostam disto: