O instável atual campeão do Super Bowl

Por Paulo Sérgio – Após o título do Super Bowl de forma emblemática, vingando o mesmo New England Patriots pela derrota na grande final em 2005, o Philadelphia Eagles veio a essa atual temporada como um dos favoritos. Com um elenco recheado de opções, entrosamento e o fato de ser um dos times mais dominantes da liga, os Eagles entraram com altas expectativas nas bolsas de apostas, por parte da imprensa e pelos fãs.

O título da divisão, uma campanha de 13-3 e vitórias contundentes nos playoffs e Super Bowl LII colocaram o time de Doug Pederson em outro patamar. Sem prestígio antes da temporada passada começar, a equipe se fez favorito ao longo do ano, diferentemente dessa atual, que já começou como favorito. O peso do favoritismo, o desgaste do playbook e os adversários cientes da potência que esse time tem são motivos do começo oscilante dos Eagles.

Em relação ao ano passado, Philadelphia estava com um recorde 6-1 na Semana 7, muito diferente do 3-4 que se encontra atualmente. A oscilação se deve a vários fatores, e em uma liga tão competitiva como a NFL, o sinal de alerta tem que ser ligado de imediato na franquia para a luta pela defesa do campeonato continuar viva.

Na offseason, houve poucas perdas significativas de fato. Vinny Curry, Torrey Smith, Mychal Kendricks e LeGarrette Blount foram alguns dos jogadores que foram embora dos Eagles. Aos que chegaram, a impressão que se tem é que o elenco ficou melhor e mais extenso ainda em relação à temporada passada; Michael Bennett, Mike Wallace e Haloti Ngata são alguns dos reforços.

Jay Ajayi rompeu ligamento cruzado anterior do joelho (Foto: Instagram/Eagles)

Um dos grandes problemas que o atual campeão enfrenta são as contusões: para começar, o Quarteback titular, Carson Wentz, perdeu os dois primeiros jogos e demorou um pouco para entrar no ritmo e engrenar, em uma recuperação demorada de uma ruptura no ligamento do joelho.

O principal nome da linha ofensiva, Jason Peters, também perdeu jogos e não está em sua melhor forma, assim como Alshon Jeffery que foi desfalques nas primeiras partidas, e Jay Ajayi, que perderá o resto da temporada. Ou seja, todos os principais nomes do ataque esteve fora por alguns jogos e isso prejudicou o caminhar das atuações.

Fora os já citados, Darren Sproles, novamente, ficará fora por grande parte da temporada. Ngata e Wallace, recém-contratados, estão na lista de contusões também, praticamente não atuando com a nova camisa, assim como o FS Rodney McLeod. Com tantas contusões, os Eagles vão atrás de novos jogadores para continuar competitivos, e as especulações estão em cima de Le’Veon Bell, LeSean McCoy e Patrick Peterson, jogadores de peso e que podem resolver todos problemas dos Eagles.

O principal problema do ataque ficou evidente com a falta de proteção da linha ofensiva ao quarterback, que sofreu sacks e hits excessivos em todas as partidas. Fora isso, os WRs tiveram alguns drops feios e o jogo terrestre demorou a engrenar em alguns momentos, justamente pela falta de proteção da linha ofensiva.

Defesa segurando as pontas

Com as adversidades, coube a defesa ser a responsável pelas vitórias da equipe. Com ataque baleado e a defesa quase que toda saudável, o time conseguiu vencer as três partidas pela força do setor na red zone e pelos poucos pontos cedidos. O time tem a 2ª melhor proteção contra o jogo corrido, com 85.7 jardas cedidas por partida, em média.

Mesmo a defesa sendo o ponto chave para as vitórias, há ressalvas a serem feitas, principalmente pelas quatro derrotas sofridas. O primeiro nível pressionou pouco o QB adversário em alguns momentos, o que reflete diretamente no desempenho da questionável secundária, que cedeu muitas jardas ao adversário (está em 24º, com média de 269.7 de média por jogo).

Além disso, a defesa apresentou um grande desgaste e queda de rendimento em últimos quartos, o que ficou evidente no jogo contra o Carolina Panthers. Apesar desses pontos fracos, o Eagles cedeu poucos pontos nessas partidas.

Torcedores, calma

Há motivos para desespero para os atuais campeões do Super Bowl? Ainda é cedo para isso, pois o elenco é um dos melhores da liga e o técnico Doug Pederson tem o playbook nas mãos. Além do mais, quando jogadores fundamentais voltarem de contusão ou novos forem contratados, a equipe terá uma melhora significativa, inclusive continuará sendo uma das favoritas ao título da conferência da NFC.

O momento é de instabilidade, há questões a serem resolvidas, porém o Philadelphia Eagles continua forte para voar alto novamente.

Ronaldo Barreto

Jornalista formado desde 2016, mas já trabalhava na área desde 2010, quando comecei em uma rádio comunitária em Guarulhos. Fui repórter (estagiário) na Federação Paulista de Futebol (FPF) e no site do jornal Diário de S. Paulo. Neste último, fui efetivado em 2016 e passei a ser o responsável por todo o conteúdo do portal do veículo em 2017, além das redes sociais. Com o intuito de fazer o futebol americano crescer ainda mais no Brasil, criei a página NFL à Brasileira, que se expandiu para este site de notícias sobre o esporte. Além da escrita, sou muito ligado à fotografia, principalmente de esportes.

%d blogueiros gostam disto: